Maio 26, 2022

Por que se espera que o uso de telefones celulares cresça consideravelmente nos próximos anos?

Os telefones celulares mudaram o planeta. Passamos dos primeiros dias de dispositivos volumosos e portáteis com recepção duvidosa para aparelhos menores que nos conectam com o mundo e pelos quais passam áudios, mensagens, imagens e vídeos. O salto esperado para o futuro não será apenas na tecnologia móvel, mas na adoção de recursos avançados disponíveis para todos – e é isso que está acontecendo.

Difusão e uso da tecnologia móvel

As primeiras mensagens SMS enviadas através de telefones celulares pareciam algum tipo de milagre. Hoje, graças à evolução tecnológica de redes e dispositivos, somos capazes de enviar fotografias e vídeos e fazer chamadas de vídeo, mas não apenas isso: a verdadeira revolução consiste na possibilidade de usar o telefone para acessar conteúdo interativo em sites ou através de aplicativos.

Por exemplo, graças ao smartphone, hoje é possível conectar-se a um cassino online como o https://casino.netbet.com/br/ e jogar todos os jogos disponíveis no portal de forma transparente e a qualquer momento, bastando ter uma conexão móvel. Algo que era inimaginável apenas vinte anos atrás. E avanços como esse abrem perspectivas incríveis para a humanidade globalmente.

A situação na década de 2020

Em um mundo que vê sua população se aproximar de 8 bilhões de pessoas, sabemos que mais de 5 bilhões delas usam um telefone celular – e, desse total, mais da metade são smartphones. Obviamente, a distribuição não é homogênea: estimativas mostram que 76% dos telefones nas economias avançadas do planeta são smartphones, enquanto nas economias emergentes o percentual cai para 45%, em média.

Na Coréia do Sul, país pioneiro na implementação da tecnologia 5G, os smartphones representam 90% dos telefones celulares. Na Índia, apenas 24% dos telefones celulares são smartphones.

O fenômeno dos smartphones está crescendo

A difusão dos smartphones em comparação com os telefones celulares tradicionais está intimamente ligada à adoção de novas tecnologias. Os usuários de smartphones são em média mais jovens que os usuários de celulares, embora desde 2015 esta lacuna venha diminuindo rapidamente, já que as ferramentas ficam cada vez mais fáceis de instalar e usar. Além disso, barreiras culturais de gênero impactam o acesso à tecnologia em alguns países, como a Índia, por exemplo, onde os homens são duas vezes mais propensos a ter smartphones do que as mulheres.

E, claro, todo esse desenvolvimento é influenciado pelo cenário econômico: enquanto os fabricantes estimulam a constante rotatividade de smartphones, aumentando a lista de recursos tecnológicos e os preços dos aparelhos, grande parte da população mundial não consegue acompanhar esse ritmo, especialmente nos países emergentes, onde a posse de um smartphone ainda está fora do alcance da maioria das pessoas.

Previsões para o futuro

No Brasil, 80% da população possui um telefone celular, mas relativamente poucos possuem um smartphone. Isso significa que a disseminação dessa ferramenta no país representa uma grande oportunidade a ser explorada nos próximos cinco a dez anos para se compartilhar conhecimento e impulsionar o comércio. E se tornará um importante motor de crescimento na disseminação de serviços e aplicativos voltados ao mercado brasileiro.

Em resumo, de uma população de 213 milhões de pessoas, apenas 170 milhões têm acesso a uma rede celular e, destes, apenas cerca de 109 milhões utilizam um smartphone. Isso significa que a expansão da rede e a introdução de tecnologias de internet móvel avançadas como a 5G surge como uma prioridade para o país, que precisará ser alavancada para elevar o Brasil ao mesmo nível dos países mais desenvolvidos nesse campo.

Atendimento
Enviar
11993455895